sexta-feira, 27 de novembro de 2009

.


Na idade dela não estaria ali assim, tão só, a pensar na vida. Que experiência e que maturidade tem ela para saber o que é realmente a vida? Valha-me Deus. - Diz, revoltada.


Isto ultrapassa-me. Talvez antigamente não me tenha passado ao lado, mas hoje, nem quero saber. A rua está deserta, ou quase, e a escuridão apoderou-se de mim. Não de uma forma dolorosa, contudo. A noite sempre me transmitiu uma certa tranquilidade, um certo pertence. Talvez pela solidão, talvez pelos rostos carregados que ela tanto traz. Sentia-me compreendida.

Não quero refletir. Quero apenas um momento para mim. A liberdade que tanto sonho. Sem deixar os meus pilares de parte. A minha família, os meus amigos verdadeiros, que tanta vontade de sorrir me transmitem diariamente.

Apesar de tudo, sou uma solitária. Sinto-me estranha quando preciso e me farto de estar acompanhada em algumas ocasiões. Às vezes apenas o "silêncio da música" me deixa repousar em mim mesma, finalmente.

Não quero ser mal interpretada. Repito para mim, não quero ser mal interpretada. Não quero.. Chega.

Acabou-se o meu tempo, a minha solidão. O relógio não pára e já devia estar em casa.

Afinal o que sei sobre a vida para divagar sobre ela?

3 comentários:

Rapunzel disse...

Mas alguém sabe?
Resta-nos vivê-la...dia-a-dia!

Bjs e sorri! :)

Ana M. disse...

Obrigado pela visita.

Um dia de cada vez será possivel?

Annie disse...

pinup-sweethings.blogspot.com é o meu novo espaço, visita-o! E obrigada por teres sempre que possivel visitado o bittersweetmemories.

beijinho *